Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Multiculturalismo

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitante online

SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
Pesquisa JURISprudência

hera.pngPesquisa de TODA a jurisprudência nacional e comunitária (publicada na net),
incluindo o DRe
 
 
Ajuda

Um artigo ao acaso: ARTIGOS DE FUNDO II - Lâmpadas de baixo consumo - como escolher

Diferentes lâmpadas de baixo consumo

O uso de lâmpadas de baixo consumo irá aumentar nos próximos anos porque estes modelos gastam menos energia e duram mais tempo que as convencionais. O meio ambiente e a carteira dos consumidores agradecem-no. Assim, as instituições marcaram um calendário progressivo de eliminação dos principais modelos de maior consumo, que começou em Setembro de 2009 e terminará em Setembro de 2016.

Podemos encontrar no mercado dois tipos de lâmpadas de baixo consumo: as lâmpadas compactas fluorescentes (CFL) e as de halogéneo. As CFL são conhecidas de forma mais genérica como de baixo consumo.

As CFL têm o mesmo princípio de funcionamento que as lâmpadas fluorescentes mas já possuem o sistema de arranque incorporado.

Graças a isso, basta apenas substituí-las pelas incandescentes, já que têm um rendimento muito maior: para uma mesma potência consumida, proporcionam cinco a dez vezes mais luz. As prestações melhoraram nos últimos anos, mas ainda não atingem o brilho das convencionais e demoram mais tempo a acender.


As lâmpadas de halogéneo economizam menos que as CFL mas, com um mesmo consumo, dão mais 30% de luz. Comparadas com as CFL, dão uma luz mais brilhante e acendem imediatamente.

Se a prioridade é a eficiência energética, há que escolher uma CFL de classe A e com uma vida útil em horas de funcionamento o maior possível para a rentabilizar.

Se a lâmpada vai ser utilizada em lugares onde é preciso rapidez de resposta, melhor tom e cor de luz para fazer sobressair as cores, então o melhor é adquirir lâmpadas de halogéneo de baixo consumo.

A estética é outro elemento a ter em conta: alguns tipos de lâmpadas podem
...
Outras Notícias


JURIS

É com prazer que abrimos este novo espaço de divulgação e comunicação.

Depressa se constatará como ele representa uma nova forma de estar. Quebrando as regras tradicionais, este sítio é interactivo.

Não se limita a ser lido ou a ser mais um local onde podem descarregar-se conteúdos.

Cada informação, cada notícia, pode ter a marca da sua intervenção. Directa. Imediata. Sem recurso a email. À distância de um clique pode estar a sua palavra feita opinião, sugestão ou recomendação, sempre que o entender.

No momento seguinte ela fará parte da alma deste sítio. Transparente e livre como nasceu.

 Maio de 2004

 
 


 

 

 
 



  Nunca discutas com um idiota. Ele arrasta-te até ao nível dele... e depois ganha-te em experiência.  
^ Topo ^