Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO - Procura emprego?

Marketing pessoal - o que é?

O facto de vender-se a si mesmo não tem grandes segredos: há que conhecer o 'produto' e mostrá-lo aos outros apresentando-o com a sua melhor cara. Não se trata de mentir, mas de ressaltar os nossos pontos fortes nos processos de selecção de pessoal.

O difícil é conseguir um bom resultado em cada uma das fases, já que é quase uma arte que requer uma certa prática. Mas há muitas estratégias que ajudam e convém reflectir sobre elas antes de as utilizar:

  • O que pode oferecer às empresas: conhecimentos, experiência, capacidades pessoais.
  • O seu projecto profissional: o que gosta de fazer e o que detesta, em que tipo de empresas ou sectores pretende trabalhar e em que condições. Muita gente fracassa na busca de emprego, porque começa a enviar currículos sem saber realmente o que quer.

Quando esteja claro o que pode oferecer-se e que objectivo se persegue, deve estudar-se o mercado para ver o que há: sectores com mais oferta de emprego, o que pedem as empresas, que salários oferecem, etc.

Toda esta informação servirá para preparar um plano de acção personalizado. Talvez tenha de começar por melhorar a formação ou talvez não faça falta. Neste caso, preocupemo-nos em redigir um bom currículo (veja o Modelo Europeu de Curriculum Vitae) e uma carta de apresentação, procurando ofertas em todas as fontes possíveis e activando a nossa rede de contactos.

A comunicação persuasiva

Uma vez iniciada a procura de emprego, devemos saber que as estratégias do marketing pessoal podem ser muito úteis. A comunicação persuasiva é a mais importante. O seu objectivo não é manipular, mas facilitar o diálogo com os outros e conhecer o que quer de nós quem vai fazer a selecção. Para se colocar em prática deve-se:

  • Escutar de forma activa: é preciso prestar muita atenção ao que diz e pergunta o entrevistador e saber interpretá-lo: que quer de mim, o que necessita… Há pessoas que não ouvem o interlocutor, porque se distraem a preparar o que vão dizer.
  • Analisar o metamodelo de linguagem: consiste em estudar como se expressa o entrevistador. Que palavras utiliza repetidamente, em que ideias insiste, que tipo de perguntas faz... Isso vai ajudar-nos a deduzir o que realmente lhe interessa (as pessoas, os resultados económicos, o trabalho bem feito). Esta análise requer prática, mas com o tempo é muito eficaz.
  • Utilizar a técnica do acompanhamento: aqui, além de observar, é preciso copiar. Deveremos imitar com tacto (nunca deve parecer uma burla) os movimentos, a gesticulação e o tom de voz do entrevistador. O objectivo é alinharmo-nos com o seu estilo de comunicação. Com isto não conseguiremos o emprego, mas pelo menos não o perderemos por sermos torpes no diálogo.
  • Observar o ambiente: os minutos de espera na recepção da empresa ou no escritório do entrevistador podem proporcionar-nos informação interessante. A decoração, a idade e a forma de vestir do pessoal, os livros, as revistas ou o jornal que o seleccionador tem sobre a mesa dizem muito dele. É preciso interpretar tudo isto, mas sem dar nada por assente, só temos indícios.

Construir a nossa própria imagem

A comunicação persuasiva é a base do marketing pessoal, mas para que funcione deve fazer parte de uma estratégia para construir a nossa própria imagem. Isso significa apresentarmo-nos aos outros de uma determinada maneira, mesmo sem tentar enganá-los nem 'mudar a nossa personalidade'.

A imagem cria-se a partir de todos os elementos de comunicação que nos rodeiam: como vestimos, falamos, olhamos, escrevemos, gesticulamos e actuamos. Tudo isto deve combinar-se de forma coerente. É preciso evitar erros do tipo:

  • Vender uma imagem de pessoa séria e responsável e chegar atrasado à entrevista de selecção. Estaremos a demonstrar que somos desorganizados.
  • Dizer que o nosso ponto forte é o trato com os clientes e depois enviar-lhes um email em tom coloquial e com erros de ortografia.
  • Também não faria sentido que destacássemos a nossa grande autoconfiança e enquanto o fazemos não estejamos a olhar o entrevistador nos olhos.
  • A própria imagem constrói-se pouco a pouco, mas começa com os detalhes e por muito que a cuidemos, se não somos naturais, sinceros e respeitosos com os nossos interlocutores, nunca nos tomarão a sério. Só uma pessoa 'sadiamente ambiciosa' pode obter resultados éticos e duradouros quando se vende a si mesma.




Criado em: 06/10/2007 • 13:00
Actualizado em: 08/10/2007 • 12:14
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO


Imprimir Imprimir

Comentários

Ainda ninguém comentou.
Seja o primeiro!


  Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...
lembre-se:
se escolher o mundo, ficará sem o amor,
mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo.  
Albert Einstein
^ Topo ^