Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifLivros Maravilhosos - Quem foi o maior cientista de todos os tempos?

Se a pergunta fosse "Quem foi o segundo maior cientista?” seria impossível responder.

Há pelo menos uma dúzia de homens que, na minha opinião, poderiam aspirar a esse segundo lugar. Entre eles figurariam, por exemplo, Albert Einstein, Ernest Rutherford, Niels Bohr, Louis Pasteur, Charles Darwin, Galileu Galilei, Clerk Maxwell, Arquimedes e outros.

Até é muito provável que nem sequer exista isso a que chamamos o segundo maior cientista. As credenciais de tantos e tantos são tão boas e a dificuldade de distinguir níveis de mérito é tão grande, que no final talvez teríamos que declarar um empate entre dez ou doze.

Mas como a pergunta é "Quem é o maior?”, não há problema algum. Na minha opinião, a maioria dos historiadores da ciência não duvidariam em afirmar que Isaac Newton foi o maior talento científico que o mundo alguma vez teve. Tinha os seus defeitos, pois claro: era um mau conferencista, tinha algo de covardia moral e de chorão autocompassivo e de vez em quando era vítima de sérias depressões. Mas como cientista não havia igual.

Fundou as matemáticas superiores depois de elaborar o cálculo. Fundou a óptica moderna com as suas experiências de decomposição da luz branca nas cores do espectro. Fundou a física moderna ao estabelecer as leis do movimento e deduzir as suas consequências. Fundou a astronomia moderna estabelecendo a lei da gravitação universal.

Qualquer uma destas quatro façanhas teria bastado por si só para distingui-lo como cientista de importância capital. As quatro juntas colocam-no em primeiro lugar de modo inquestionável.

Mas não são só as suas descobertas que é preciso destacar na figura de Newton. Mais importante ainda foi a sua maneira de as apresentar.

Os antigos gregos tinham reunido uma quantidade ingente de pensamento científico e filosófico. Os nomes de Platão, Aristóteles, Euclides, Arquimedes e Ptolomeu sobressaíram durante dois mil anos como gigantes sobre as gerações seguintes. Os grandes pensadores árabes e europeus lançaram mão dos gregos e mal ousaram expor uma ideia própria sem a referendar com alguma referência aos antigos. Aristóteles, em particular, foi o "professor daqueles que sabem”.

Durante os séculos XVI e XVII, uma série de experimentadores, como Galileu e Robert Boyle, demonstraram que os antigos gregos nem sempre acertaram na resposta correcta. Galileu, por exemplo, deitou abaixo as ideias de Aristóteles sobre a física, efectuando o trabalho que Newton resumiu mais tarde nas suas três leis do movimento. Não obstante, os intelectuais europeus continuaram sem coragem para romper com os idolatrados gregos.

Depois, em 1687 Newton publicou os seus Principia Mathematica, em latim (o maior livro científico alguma vez escrito, segundo a maioria dos cientistas). Ali apresentou as suas leis do movimento, a sua teoria da gravitação e muitas outras coisas, utilizando as matemáticas no estilo estritamente grego e organizando tudo de maneira impecavelmente elegante.

Quem leu o livro teve de admitir que a final estava-se perante uma mente igual ou superior a qualquer das da Antiguidade e que a visão do mundo que apresentava era formosa, completa e infinitamente superior em racionalidade e inevitabilidade a tudo o que continham os livros gregos.

Esse homem e esse livro destruíram a influência paralisante dos antigos e romperam para sempre o complexo de inferioridade intelectual do homem moderno.

Depois da morte de Newton, o Papa Alexandre resumiu tudo em duas linhas:

"A Natureza e as suas leis permaneciam ocultas na noite. Disse Deus: Seja Newton! E tudo foi luz.”

Isaac Asimov



Criado em: 19/07/2007 • 10:27
Actualizado em: 19/07/2007 • 10:31
Categoria : Livros Maravilhosos


Imprimir Imprimir

Comentários


Comentário n°5 

dimi2 12/02/2012 • 19:08

alem de newton ,não podemos nunca esquecer de NIKOLAS TESLA o responsável da segunda revolução industrial o homem que possibilitou a humanidade a sair definitivamente das trevas,responsavel da criação dos atuais geradores,motores,transformadores e distribuição da corrente ac,idealizador da ignição elétrica dos carros,RX,invenror do rádio e das transmissões waireless,falamos no celular ,escutamos rádio,vemos tv ,esquentamos comida no micro ondas,trocamos de canal com controle remoto GRAÇAS A GENIALIDADE DE TESLA,esboçou as ideias na pratica do radar,tubo de tv,valvulas muito antes de industrializarem e construiu a primeira lâmpada a frio,florecente,40 anos antes da sua industrialização,hoje usamos as tais  Lâmpadas economicas com os principios de tesla,ele não era um simples teorico,o homem fazia acontecer ele pegava as teorias de ohm,faraday,hertz e outros grandes teoricos e fazia algo de util , para o conforto do homem realmente o maior cientista de todos os tempos,newton se iguala com kepler em genialidade,mais nikolas é impar.

Comentário n°4 

Neno 14/02/2011 • 12:07

Isto já é com o acordo ortográfico? Tem muitas palavras novas...

Comentário n°3 

bianca 12/02/2011 • 18:16

nossa eu pensava que ele éra caréca

 

 

entao eu tirei 0 na provaddn

               y

que surpresa vc nao acha? s

 

fiquei até tam tamk quaze murrie


Comentário n°2 

lidya de moura 19/02/2010 • 13:13

nossa  rolleyes eu achei muito interessante,por ser m artigo interessante!!!coolcooltonguesmile

Comentário n°1 

Rodrigo 17/06/2008 • 19:14

Eu concordo. Isaac Newton está sozinho, isolado no Topo da hierarquia dentre os maiores cientistas de todos os tempos.

Teve que sozinho abraçar toda a matemática escrita até o século XVII e a partir dela criar a sua própria.Pra quem não sabe, Newton escreveu uma obra matemática que contém uma tabela  de integrais deduzidas por ele, várias com raizes quadradas inclusive como as que utilizamos hoje nos cursos superiores de Engenharia. Criou a 1a fórmula matemática para cálculo do seno e cosseno através de série de potências. Criou o conceito de massa e provou que massa gravitacional e inercial são correspondentes.Explicou as marés e a precessão dos equinócios.

Além disso, era um experimentador fantástico. Construia ele mesmo os aparelhos e objetos a serem utilizados e descreveu uma metodologia de pesquisa válida até hoje. 

Além do mais, devido a seu comportamento, sempre isolado e solitário, estudou e decifrou quase tudo sozinho, diferentemente de outros cientistas da época.Todos os problemas desafio lançados a ele pelos irmãos Bernoulli, Leibnitz, Robert Hook, etc foram resolvidos sem excessão.

Enfim, na minha opinião foi a maior de todos.


  As oportunidades surgem sob o disfarce de tarefas árduas e a maioria das pessoas não as reconhece  Ann Landers
^ Topo ^