Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO - Ausência maternal e agressividade

Quanto mais tempo uma criança passa sem a mãe, mais possibilidades há que desenvolva comportamentos agressivos, de acordo com um novo estudo difundido recentemente.

A investigação revelou que quanto mais tempo as crianças passam numa creche ou jardim de infância, mais possibilidades existem das professoras reportarem problemas de comportamento.

Além disso, as crianças que receberam uma atenção dedicada antes de entrar no jardim de infância, têm um melhor vocabulário que as que não tiveram esse

As descobertas resultam do maior estudo sobre cuidados e desenvolvimento infantil realizado nos Estados Unidos. Os investigadores realizaram um acompanhamento de 1.364 crianças desde o nascimento, como parte do estudo dos Institutos Nacionais de Saúde.

No estudo mais recente, os investigadores avaliaram se as características observadas no jardim de infância estavam presentes nos primeiros anos do ensino primário. Verificaram que os padrões de vocabulário e comportamento continuavam, mesmo que outros tivessem desaparecido.

Os cientistas afirmaram que o aumento dos problemas de vocabulário e conduta foi pequeno e que o tempo que as crianças passavam com as mães era muito mais importante para prever o seu desenvolvimento.

No estudo definiu-se o cuidado infantil como o que era ministrado por qualquer outra pessoa que não a mãe durante pelo menos 10 horas por semana.

Os especialistas afirmaram que o efeito a longo prazo da qualidade do cuidado que recebem as crianças é consistente com outras evidências que mostram que as primeiras experiências da infância estão relacionadas com o desenvolvimento da linguagem.

O efeito perdurável no comportamento também teria uma explicação lógica, segundo os pesquisadores.

"Uma das possíveis razões pelas quais perduram as relações entre o cuidado que recebem as crianças nas creches infantis e os problemas de comportamento, é que os professores das escolas primárias não têm tempo nem estão preparados para atender os problemas de comportamento, já que a sua principal preocupação é académica", disseram.



Criado em: 27/03/2007 • 08:30
Actualizado em: 27/03/2007 • 08:33
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO


Imprimir Imprimir

Comentários


Comentário n°1 

valdeniza 19/06/2008 • 22:45

O texto é muito interessante e tem um fundo de verdade,tenho um filho de 09 anos e ele é rebelde,agressivo e como sempre trabalhei fora deixei meu filho longe de mim  na casa de uma irmã. hj sei  q as consequencia foi em parte do resultado do tempo em q ficou longe de mim. O texto é muito bom. 

tongue


  O importante não é viver, mas viver com dignidade  Sócrates
^ Topo ^