Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
NeoFronteras - Molécula induz a autodestruição das células cancerosas

Um grupo de investigadores encontrou um composto que induz à morte natural das células cancerosas.

O suicídio é o modo normal da morte das células do nosso corpo. Quando estas chegam ao fim da sua vida útil os mecanismos internos da apoptose põem-se em marcha e a célula morre. Mas nas células cancerosas este mecanismo encontra-se geneticamente desactivado ou não funciona bem, permitindo que o tumor prolifere. Agora os investigadores encontraram um modo de reactivar esta morte programada das células e assim tratar o cancro.

Para que a apoptose aconteça desencadeiam-se uma série de processos químicos na célula. Perto do final a molécula procaspasa-3 está activada. Depois transforma-se em caspasa-3 e uma enzima executora mata a célula.
Paul Hergenrother da Universidade de Illinois e uma equipa internacional de colaboradores descobriram que um composto que activa a procaspasa-3 poderia ser efectivo no tratamento contra o cancro.

Os tumores mostram altos níveis de procaspasa-3 mas são incapazes de concluir o processo de apoptose. Se de algum modo se pudesse dar “um empurrão” ao processo muitos casos de cancro poderiam ser controlados.

Depois de testar aproximadamente 20.500 moléculas, para ver se seriam capazes de activar a procaspasa-3, os pesquisadores encontraram quatro boas candidatas.

Destas quatro só uma mostrou um efeito suficientemente forte ao aumentar a dose e denominaram-na PAC-1 (procaspase activating compound).

Este composto sintético é capaz portanto de activar a procaspasa-3 e induzir a apoptose, abrindo o caminho molecular normal que não funciona.

Num possível tratamento com esta substância conseguir-se-ia destruir as células cancerosas com a própria maquinaria celular sem danificar as células sãs.

Os investigadores comprovaram a eficácia deste composto em culturas provenientes de 23 pacientes com cancro de cólon. Os tumores tinham níveis de procaspasa-3 oito vezes mais elevados que as células normais do cólon e foram muito sensíveis ao composto. Num dos casos, graças ao PAC-1, as células cancerosas foram 2.000 vezes mais sensíveis ao desencadeamento da apoptose do que da maneira natural.

Noutros testes realizados com ratos provou-se a sua eficácia no tratamento do cancro do rim e do pulmão. Os resultados indicam que a eficácia de PAC-1 se correlaciona com os níveis de procaspasa-3 em vários tipos de cancro.
A possível aplicação deste medicamento far-se-ia em pacientes que tenham mostrado previamente altos níveis de procaspasa-3 nas suas células cancerosas.

Este trabalho será publicado em Nature Chemical Biology proximamente.

Tradução JURIS
Ligação para o artigo original
Parceria JURIS - NeoFronteras

Criado em: 11/09/2006 • 17:35
Actualizado em: 11/09/2006 • 17:35
Categoria : NeoFronteras


Imprimir Imprimir

Comentários

Ainda ninguém comentou.
Seja o primeiro!


  Uma amizade criada nos negócios é melhor que negócios criados na amizade  John D. Rockefeller
^ Topo ^