Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
Justiça Restaurativa - Reuniões entre vítimas, agressores e comunidade


JUSTIÇA RESTAURATIVA  


Os encontros entre as vítimas, os agressores e os membros da comunidade afectada são um meio importante de abordar a dimensão relacional da criminalidade e da justiça. É reconhecido que os três métodos a seguir indicados caracterizam a justiça restaurativa. Cada um dos métodos requer que o agressor admita a responsabilidade do delito. Cada um está reservado às partes que queiram participar voluntariamente.


• Mediação entre a vítima e o agressor – Trata-se de um procedimento que prevê a oportunidade de dar a uma vítima interessada a oportunidade de se encontrar com o agressor que a ofendeu, num ambiente seguro e estruturado, para iniciar o processo de discussão sobre o delito com a assistência de um mediador qualificado. 

- Objectivos
- permitir às vítimas reunir-se voluntariamente com o agressor encorajando-o a compreender as consequências do delito e a assumir a responsabilidade do dano causado, dando à vítima e ao agressor a oportunidade de desenvolver um projecto de compensação pelo dano causado.


Há mais de 300 programas de mediação entre vítimas e agressores na América do Norte e mais de 500 na Europa. A pesquisa sobre estes programas mostrou um grau de satisfação mais elevado entre vítimas e agressores que participaram na mediação, muito menos medo entre as vítimas, uma maior probabilidade de que o agressor cumprirá com a obrigação de reparação e menor índice de novos delitos do que os que passaram pelo processo penal normal.


• Conferência de Família ou Grupo de Comunidade – Este processo junta a vítima, o agressor e a família, os amigos e os principais simpatizantes de ambas as partes, para decidir como reagir às consequências nefastas do delito. 

- Objectivos - dar à vítima a oportunidade de participar directamente na resposta ao delito, sensibilizar o agressor para as consequências do seu comportamento e dar-lhe a ocasião de assumir a responsabilidade, iniciar o sistema de apoio da comunidade.


A conferência é uma adaptação de práticas tradicionais de Maori na Nova Zelândia e é posta em prática, fora dos serviços sociais. Foi modificada na Austrália para poder ser utilizada pela polícia. Está agora a ser utilizada na América do Norte, na Europa e nos países do Sul de África, numa daquelas duas modalidades. É utilizada com infractores menores (a maioria dos casos de delinquência juvenil na Nova Zelândia são tratados através de conferência) e também com infractores adultos. As investigações realizadas demonstram um elevado grau de satisfação entre as vítimas e os agressores pelo processo utilizado e resultados obtidos.


• Círculos de reconciliação ou de sentença - Trata-se de um processo concebido para desenvolver um consenso entre os membros da comunidade, as vítimas, os simpatizantes das vítimas, os agressores, os simpatizantes dos agressores, os juizes, os magistrados, a defesa, o advogado de defesa, a polícia e as pessoas que trabalham no tribunal, a fim de ser adoptado um plano de sentença que responda às preocupações de todas as partes interessadas. 

- Objectivos
- encorajar o apaziguamento de todas as partes afectadas, dar ao agressor a oportunidade de se emendar, dar às vítimas, aos agressores, aos membros da sua família e às comunidades a oportunidade de se exprimir e a responsabilidade comum de participar nas resoluções construtivas, atacar as causas subjacentes ao comportamento delinquente e suscitar um sentimento comunitário pelos valores comuns da colectividade.


Os círculos são uma adaptação de práticas tradicionais nativas da América e estão a ser utilizadas em várias regiões da América do Norte.



Aprofundamento do tema:
Justiça Restaurativa em Portugal

Criado em: 24/05/2005 • 15:15
Actualizado em: 25/05/2005 • 20:48
Categoria : Justiça Restaurativa


Imprimir Imprimir

Comentários

Ainda ninguém comentou.
Seja o primeiro!


  A confiança é um quadro que pintamos todos os dias para torná-lo mais transparente  Lourenço Dias Almeida da Silva
^ Topo ^