Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
ARTIGOS DE FUNDO - 10 segredos para quem procura emprego

1 - Ser correcto

Isto tem de ser dito claramente: a primeira coisa importante é saber expressar-se correctamente. Não se pode falar ao empregador como a um amigo ou como a alguém que está a um mesmo nível que o nosso.

Se essa aproximação na relação acontece, deve ser o empregador quem dá o primeiro passo e só deve chegar até onde ele chegar

2 - Contar os problemas pessoais

À empresa que vai contratar não lhe interessam os nossos problemas pessoais. Em absoluto. Não querem um empregado que tenha problemas inclusivamente antes de vir a trabalhar com eles. Se há problemas, a entrevista de emprego não é o melhor lugar para os contar. Isso iria apenas dizer que, provavelmente, o empregado iria dar muitos mais problemas no futuro.

Se há alguma limitação ou problema com o futuro trabalho, há que procurar maneira de a camuflar. Frases como: “Agora mesmo estou muito ocupado“, “Não entrem em contacto com as empresas que referi no CV, porque a relação profissional terminou bastante mal“ … não ajudam a gerar a confiança desejável com a futura empresa.

3 - Mostrar ilusão

Algumas empresas chamam a isto “carta de motivação“, mas eu acho que é necessária uma atitude de motivação. É preciso demonstrar à empresa que o projecto a que nos candidatamos é algo que nos faz feliz, que adorávamos dedicar o nosso tempo a essa ideia, que é uma oportunidade para nós. Isto são pontos a nosso favor e não é muito dificil de fazer. Pois não?

4 - Ser proactivo

Nas entrevistas para entrar no Google, uma das perguntas que fazem é: “Em que é que melhoraria o Google?“. Isto é um filtro básico: se não é capaz de melhorar a empresa na qual trabalha, o melhor é nem vir.

Isto aplica-se mais ou menos a qualquer empresa e projecto. Uma pessoa que possa sugerir novas atitudes para gerar dinheiro, sempre será mais bem-vinda. Há que sugerir melhorias, alternativas. Isso demonstrará que vai ser uma pessoa que resolve problemas e contribui para as soluções. É isto precisamente o que querem as empresas e somos capazes de o conseguir se a tal nos propusermos.

5 - Curriculum interessante

Tive, por diversas vezes e variadas razões, a oportunidade de analisar muitos CV e há alguns erros que considero de "enorme" magnitude e que se repetem uma e outra vez. Comecemos pelos básicos:
Devemos escrever o mais importante da nossa vida no início.
Não é certo que a empresa vá ler todo o nosso CV e muitas vezes descartam-se candidatos antes de passar a primeira página. Por isso, há que fazer todo o possível para que a primeira página seja suficientemente apelativa.
Destacar com negrito o mais importante.
Quando alguém dos Recursos Humanos (RH) lê o nosso CV, fá-lo na diagonal, não o estuda com detalhe. Destacar a negro faz com que isso seja lido e não passe despercebido entre o texto normal.
Imagem profissional.
Uma conta no hotmail para pedir trabalho não denota muito profissionalismo. Se não há a possibilidade de ter um domínio próprio, pelo menos deve usar-se um correio mais profissional.
Eliminar o irrelevante.
Muitíssimas pessoas, por medo e falta de confiança, procuram parecer muito mais do que aquilo que são procurando encher de linhas o CV. Pelas mãos de um responsável dos RH de uma grande empresa, passam pelo menos 20 novos CV todos os dias.
Tente-se ir aos factos para conseguir uma entrevista. Não se refira o colégio ou o campeão de atletismo que se foi em pequeno ou que um dia se fez um curso de flauta transversal.
Adaptar o CV para a oferta.
Somos uma pessoa com muitas qualidades, mas nem todas são válidas para todos os trabalhos. Há que realçar as qualidades que mais poderiam ajudar para essa oferta, e omitir (ou eliminar) as que poderiam prejudicar.

6 - “Como faço para escrever o CV? Não sei por onde começar!”

Há muitíssimas ferramentas para fazer um bom CV. A minha experiência diz que é preciso dedicar-lhe umas quantas horas para que seja apelativo e provoque no entrevistador o desejo de se fixar em nós. Isto NÃO quer dizer começar a colocar cores, linhas daqui e dali ou tipos de letra do mais “cool”, quer dizer o pensar e repensar a estrutura da informação que queromos apresentar.

Para os principiantes, recomenda-se que visitem o site do Europass e usem o modelo CV Europeu.

7 - Analisar o que se pede na oferta

Quando a empresa procura alguém, dedica um certo tempo a analisar a sua necessidade e resume-a depois num pequeno parágrafo onde expressa as suas preferências. Esta informação é o mais valioso que existe. A empresa sabe que encontrar alguém com essas características não é simples, mas se os requisitos descem é porque pensam pagar pouco. E isto, amigos meus, é lei imutável.

Se pretendem alguém que fale inglês, não podemos dizer que sabemos alemão como forma de nos defender. Se pedem 2 anos de experiência e não os temos, há que dizer que temos X anos num sector relacionado e que adoraríamos dar um novo sentido à nossa carreira numa empresa como essa.

Devemos assegurar-nos, antes de mandar o CV e a carta de motivação, que mostramos à empresa que estamos o mais próximo possível de cada um dos requisitos pedidos. Não digam que não os avisei.

8 - Analisar a empresa

Muitas vezes, as empresas procuram alguém que se adapte à sua maneira de pensar e sentir a vida. Numa consultora de grande prestígio, procura-se alguém com uma grande segurança em si mesmo. Num hospital procura-se alguém com muito tacto. Em technorati procura-se gente famosa no mundo da internet smile

Analisar como é a empresa, como são os seus empregados, o que dizem, que opiniões emitem sobre a empresa. Toda esta informação servirá para adaptar o tom da carta de motivação ao que esteja mais próximo ao da empresa. Isto gerará uma empatia que te dará mais pontos para ser “o eleito”.

9 - Retribuição

Não se negociam as condições até que eles o façam. Não pode pedir emprego dizendo: “Quero cobrar X € brutos por mês e ter…”. Não. Deve ser o empregador a lançar a questão e então, sim, sentemos-nos para negociar.

Mesmo que pareça incrível, tive casos de gente que, antes de saber as característica concretas do projecto, já me diziam quanto queriam cobrar. Isto é um erro gordo por várias razões: poderia ser que eu estivesse disposto a pagar muito mais ou inclusive poderia pagar menos dinheiro e oferecer outro tipo de compensações. Esperar que eles tomem a iniciativa é a postura adequada.

10 - Infíltrar-se!

Conhecer alguém dentro da empresa que tenha uma boa opinião de nós, poderá dar muitos pontos a nosso favor. Quanto mais respeitada for essa pessoa, mais pontos.

Por vezes é impossível, mas criar-se uma rede de contactos no sector no qual pretendemos trabalhar, pode mudar a balança a nosso favor em muitas circunstâncias. Um Responsável dos RH tem nas suas mãos CVs de pessoas que não conhece, mas se acontecer um colega dizer-lhe que nós valemos, de certeza que ele olha com outros olhos para o nosso CV perante tanta pessoa anónima.


Para finalizar, uma sugestão.
Obtido o emprego, uma regra sagrada deve estar sempre, mas sempre presente:

Os problemas de casa ficam à porta da empresa e os problemas da empresa ficam à porta de casa.
Trabalha-se melhor. Vive-se melhor.



Criado em: 11/06/2006 • 17:41
Actualizado em: 11/06/2006 • 18:26
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO


Imprimir Imprimir

Comentários


Comentário n°3 

edna 01/09/2011 • 08:51

WOW! parei aqui por causa do artigo da agua oxigenada, veja so. Nem estou procurando emprego mas o artigo me interessou bastante. Ja tive otimos empregos em minha vida, todos relacionados, claro, porem nunca precisei de CV gracas a Deus. Gostei demais da sua dica, essa materia e sensacional. Sao dicas maravilhosas, quem segui-las certamente tera um futuro brilhante. Parabens.
Edna

Comentário n°2 

T 08/04/2008 • 00:09

boas dicas, obrigado :)

Comentário n°1 

rmoura 09/08/2006 • 15:15

Muito boa as dicas.. prestou um grande favor para as informações contidas no site... obrigado.

  Há coisas que melhor se dizem calando  Machado Assis
^ Topo ^