Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO II - Coisas que os homens não entendem mesmo sobre as mulheres

Há coisas que um homem nunca vai entender, basicamente porque está biologicamente incapacitado para isso. De modo que o melhor é nem te esforçares a explicar-lho, melhor ainda nem repares nele, segundo nosotras.com

Este artigo não quer ser, nem coisa que se pareça, uma dessas diatribes contra o género masculino, nem uma exposição sobre a guerra dos sexos, nem uma análise profunda sobre os problemas de comunicação do casal.

É apenas a observação de um facto objectivo: há coisas que eles não entendem sobre nós (e há também coisas que nós somos incapazes de entender neles).

Não é só educacional, obviamente, mas também há uma parte de biologia intrínseca no problema. Se eles não sofrem esse tipo de dança africana que as nossas hormonas dançam em certos dias do mês, vão ser incapazes de entender o que te faz chorar porque te dá os bons dias ou montas um escândalo de dimensões apocalípticas porque te disse que chegará tarde para jantar.

Num imparável afã antropológico, olhei à minha volta e perguntei aos homens com quem convivo habitualmente (noivo, amigos, colegas de trabalho) quais são as coisas que não entendem em nós. Eis o que me disseram. Pobrezitos.

- As mudanças hormonais: se o teu noivo for médico vai dar ao mesmo. Quando vir a tua transformação de Dr. Jekyll em Mr. Hyde quererá fugir para um mundo onde só existam homens. Não lhe dês mais importância, está biologicamente incapacitado para o entender.

- O relacionamento que manténs com essa amiga que na realidade odeias: não tentes dissimulá-lo, mas há amigas do peito a quem na realidade consideras umas raposas. Pode ser que não sejam amicíssimas tuas mas estão no teu círculo de amigos e no fundo não as suportas. De modo que quando chegas a casa descarregas em cima do teu noivo. Ele não entende por que continuas a ser amiga delas. Para poder continuar a criticá-las, obviamente.

- A paixão que desenvolvemos por certas coisas, como as caixas. Segundo um dos nossos entrevistados, as caixas vazias, sem nada dentro, fascinam as mulheres. Pelos vistos, não entendem que as caixas se podem encher. E é melhor guardar os pendentes ou qualquer coisa, numa caixa bonita que numa feia. É lógico não? As caixas são coisas fixes. Até há lojas dedicadas exclusivamente à venda de caixas.

- Que comentemos a roupa: pelos vistos eles não comentam a roupa, nem a que levam nem a que vêem nas séries ou nos filmes. Pelos vistos, nós fazemo-lo constantemente, mas é para isso que serve a roupa ou não? Há séries que se mantêm apenas pela qualidade de estilo das protagonistas. E além disso, há coisas que tu compras só para que a tua amiga (a que odeias) tenha inveja de ti e te diga: "Ah, que vestido tão bonito".

- Que digamos primeiro um não rotundo a coisas a que depois cedemos. E não estamos a falar (só) de sexo. Um exemplo: o teu noivo diz-te que quer sair esta noite e tu, possuidora da verdade universal e de uma fúria irrevogável, empenhas-te num não, não, não e não, de maneira nenhuma. No final montas-lhe um frango épico (!) e quando já te acalmaste, acabas por dizer que sim, que agora já te apetece. Extrapola este comportamento a qualquer outra situação.

- As demonstrações de afecto públicas com as tuas amigas. Não odeias todas as tuas amigas obviamente. De facto há algumas a quem queres muito, de modo que... porque não o demonstrar? Se a todos os que chegam eles dão palmadas nas costas ou abraços que mais podem parecem demonstrações de luta livre...

- Tentar criar ciúmes aos ex-namorados. Não entendo porque é que eles não entendem, de modo que não vou tratar de o explicar. Além disso, eles também o fazem.



Tradução JURIS - Artigo original

Criado em: 25/09/2011 • 21:29
Actualizado em: 25/09/2011 • 21:39
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO II


Imprimir Imprimir

Comentários

Ainda ninguém comentou.
Seja o primeiro!


   Já sorriu hoje ? O sorriso é uma linha curva que faz com que tudo se endireite   
^ Topo ^