Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO II - Os 7 records Guinness do mundo microscópico

A maior célula do mundo


Syringammina fragilissima é uma célula da classe xenophyophorea que pode atingir até 20 centímetros de diâmetro. É formada por canos interligados que segregam um cimento orgânico para unir areia e sedimentos, formando uma estrutura que se chama declara. À medida que cresce, desprendem-se partes da célula que são colonizadas por outros organismos. Tem vários núcleos.

A célula mais resistente às radiações ionizantes


A Thermococcus gammatolerans é uma arqueobactéria extremófila capaz de suportar radiações de 30.000 Gray, 3.000 vezes mais que os que suporta um humano. Isto é possível graças à sua grande capacidade de reparação cromossómica do DNA.


A maior bactéria


A proteobactéria Thiomargarita namibiensis, também chamada a "pérola sulfurosa da Namíbia", é visível à vista desarmada porque mede 0,75 mm. É uma anaeróbica facultativa, pelo que pode respirar oxigénio, se o houver. Geralmente, as bactérias muito grandes têm uma desvantagem , já que a proporção entre a superfície da membrana e o volume do citoplasma é menor. Quando obtêm nutrientes por difusão simples, isso faz com que seja mais fácil a morte por inanição. Pode sobreviver graças ao seu grande vacúolo que ocupa o 80-98% do seu tamanho e que utiliza para armazenar altas concentrações de nitrato.

O maior vírus
 
Mamavirus com o vírus Sputnik no seu interior

Tal como outros vírus da família mimiviridae, confundiu-se com uma bactéria. Devido ao seu tamanho (mais de 400 nm), os mamavirus podem ser infectados pelo vírus Sputnik. Possui mais genes que muitas bactérias e inclusive realiza funções exclusivas de organismos celulares.

O extremófilo que suporta maior temperatura 


A Cepa 121 sobreviveu, mantendo o seu crescimento, durante 10 horas a 121ºC em autoclave, e morreu ao atingir os 130ºC. Comprovou-se que se se diminuía a temperatura, podia recrescer. Temos ainda o Methanopyrus kandleri que é um hipertermófilo que se encontrou numa fonte hidrotermal no golfo da Califórnia a 2 quilómetros de profundidade, a uma temperatura que oscila entre os 84 a 110ºC. O M. kandleri pode sobreviver e reproduzir-se aos 122ºC.

A bactéria mais numerosa


A Pelagibacter localize é uma bactéria que se encontra na água e que é possivelmente a mais abundante na Terra, com uns 10.000.000.000.000.000.000.000.000.000 de especímenes. É também uma das mais pequenas com 0.37-0.89
µm de comprimento e 0.12-0.20 µm de diâmetro. No verão, metade das células dos oceanos tépidos são desta espécie, afectando o ciclo do carbono, já que recicla carbono orgânico dissolvido.

A bactéria mais pequena

Bacteriocito de psílido com Carsonella tubulares rodeando o núcleo.

Trata-se da Candidatus Carsonella ruddii, uma bactéria endosimbionte presente em todas as espécies de psílidos. O seu genoma é o mais pequeno conhecido actualmente com 159.662 pares de bases, com genes pequenos e sobrepostos. Também se diz que tem o menor número de genes conhecido: 182.  Devido a isto, faltam-lhe genes que em princípio são essenciais para criar ribosomas, replicar o DNA e para as funções da membrana. Teria  inclusive quem poderia considerá-lo um orgânulo. As sequências para produzir alguns aminoácidos, como a histidina, fenilalanina ou o triptófano, que poderia precisar o hóspede, estão ausentes ou não são funcionais.



Tradução JURIS - Artigo original

Criado em: 24/09/2011 • 20:11
Actualizado em: 24/09/2011 • 20:48
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO II


Imprimir Imprimir

Comentários

Ainda ninguém comentou.
Seja o primeiro!


  Tornar-se número um é mais fácil que permanecer número um  Bill Bradley
^ Topo ^