Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO II - A última aula do professor de Física mais divertido do mundo



A sala 26-100 do MIT tem capacidade para mais de 500 pessoas mas havia gente até nos corredores. Centenas de alunos aglomeravam-se na passada segunda-feira para ver em acção pela última vez o mítico professor de Física, Walter Lewin, um dos professores mais populares da instituição, conhecido em todo o mundo graças à internet.

Aos 75 anos, o professor Lewin não defraudou as expectativas. Colocou o famoso pêndulo de 5 metros sobre o pavimento e agarrou-o enquanto os alunos o viam a balançar de um lado para o outro. Após 10 balanços, o professor saiu do pêndulo e parou o cronómetro. A demonstração é simples: o pêndulo demora o mesmo tempo a oscilar com ou sem Lewin em cima, porque a oscilação é independente da massa. "Já vos tinha dito isto", exclama triunfal uma vez mais, "a Física funciona!".


A beleza da Física

Durante os últimos 30 anos, Lewin deu mais de 800 aulas neste mesmo local fazendo da Física uma matéria apaixonante e experimental na própria aula. Nas suas intervenções o professor mistura as fórmulas com a demonstração prática. Para explicar o momento angular e a inércia utiliza uma roda de bicicleta, põe-na a rodar e pendura-a de uma corda; quando fala da pressão do ar utiliza duas latas de tinta e uma espingarda.

"Acho que sempre fui um excêntrico", afirmou Lewin perante os risos dos alunos. "Desde o primeiro dia, as minhas aulas foram sempre diferentes do habitual". Tão diferentes que tiveram sempre algo de teatral e circense. Alguns dos seus colegas, veja-se no site do MIT, recordam os bastidores da aula como "algo vindo de um velho filme sobre o monstro de Frankenstein".

Numa das suas demonstrações, por exemplo, os alunos viram-no subir uma escada de 5 metros, deixar passar pelo corpo 300.000 volts de electricidade ou calcular ao milímetro a trajectória de uma bola de aço que pára precisamente antes de bater no queixo.

Passaram doze anos desde a última vez que fez a famosa demonstração do pêndulo e chegou o momento de se retirar. As suas experiências durante estes anos relata-as num livro que aproveitou para apresentar aos alunos. "For the Love of Physics" (Pelo amor à Física) descreve, segundo as suas próprias palavras, "as pequenas maravilhas do mundo quotidiano" e "a beleza da Física".

No livro, Lewin dá resposta a dezenas de curiosidades sobre a ciência, como por que os arco-íris são curvos e não rectos ou por que só vemos auroras nos pólos, mas revê também alguns das feições mais tristes da sua biografia, como a forma como o regime nazi assassinou boa parte da sua família.

Os alunos vão deixar de o ver fazer demonstrações loucas ao vivo mas ainda ficarão os seus vídeos, as suas palavras e as suas demonstrações de que a Física é apaixonante.

Tradução JURIS - Artigo original

Criado em: 20/08/2011 • 15:31
Actualizado em: 20/08/2011 • 15:55
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO II


Imprimir Imprimir

Comentários

Ainda ninguém comentou.
Seja o primeiro!


  A função da liderança é produzir mais líderes e não mais seguidores  Ralph Nader
^ Topo ^