Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO II - Mulheres inventivas que mudaram o mundo

mulher_lider.jpgAs mulheres resolvem problemas, por natureza.

Confrontadas com um problema, as mulheres encontram uma solução - mesmo que isso signifique inventar uma.

Platão afirmou: "A necessidade é a mãe da invenção." Camões reforçou dizendo: "A necessidade cria o engenho".

A primeira patente americana foi registada por uma mulher em 1809, mas até 1840, apenas outras 20 foram concedidas às mulheres.

As invenções relacionaram-se, naturalmente, com o vestuário, utilitários para o lar, fogões e cozinha.

Hoje, com o acesso a uma formação especializada e mais vastas oportunidades de trabalho, as mulheres estão a aplicar a sua criatividade na solução de novos problemas, incluindo aqueles que requerem conhecimentos tecnológicos, científicos e matemáticos.

As estatísticas mais recentes de registo de patentes e marcas registadas nos Estados Unidos indicam que em 2002 as mulheres registaram 10,9% das invenções patenteadas.

É impossível conhecer todas as mulheres que merecem o crédito pelo seu trabalho criativo - o registo de patentes e de marcas registadas não requer a identificação de género ou de etnia.

No entanto, há bastantes dados estatísticos que sugerem haver muitas boas razões para incentivar as mulheres a seguirem cursos baseados na ciência, matemática e tecnologia para continuarem a herança das grandes mães da invenção.

Eis algumas mulheres inventoras que merecem ser conhecidas.


Mary Dixon Kies
Em 1809, Maria Dixon Kies registou a primeira patente atribuída a uma mulher nos Estados Unidos. Kies, natural de Connecticut, inventou um processo para tecer palha com a seda ou fio. A primeira dama, Dolley Madison elogiou-a para impulsionar a indústria nacional do chapéu. Infelizmente, o registo da patente foi destruído no grande fogo do escritório de patentes em 1836.


Margaret Knight
Margaret Knight, conhecida como a "mulher Edison", registou 26 patentes onde se destacam a invenção da moldura e caixilho de janela, máquinas para cortar solas de sapatos e até aperfeiçoamentos para motores de combustão interna.

Mas a sua invenção mais significativa foi a máquina que dobra e cola sacos de papel, inovação que mudou radicalmente os hábitos das compras. Os técnicos que montaram o equipamento aconselharam-na a abandonar a ideia porque "afinal de contas, o que é que uma mulher percebe de máquinas?"


Sarah Breedlove Walker
Sarah Breedlove Walker, filha de ex-escravos, ficou órfã aos 7 anos e enviuvou aos 20. Madame Walker inventou as loções capilares, cremes e o alisamento do cabelo a quente. Mas o seu maior sucesso foi o Sistema Walker que oferecia uma vasta gama de cosméticos, licenciamento de Consultoras Walker e Escolas Walker que ofereceu emprego e crescimento pessoal a milhares de Consultoras Walker.

Sara Walker foi a primeira mulher milionária americana que se fez a si própria.


Bette Graham
Bette Graham esperava vir a ser uma artista, mas as voltas da vida levaram-na a trabalhar em secretariado, apesar de não ser grande dactilógrafa. Felizmente lembrou-se que os artistas podem corrigir os erros que fazem pintando-os com gesso. Tal ideia levou-a a inventar uma tinta de secagem rápida para cobrir os erros que dava ao dactilografar.

A sua fórmula secreta foi preparada na cozinha com uma batedeira e o filho ajudava a guardar o preparado em pequenos frascos. Em 1980, a Liquid Paper Corporation que Bette construiu, foi vendida por mais de 47 milhões de dólares.


Ann Moore
Ann Moore, voluntária da Peace Corps, viu que as mulheres africanas transportavam os filhos às costas, com um pano em volta do corpo, deixando ambas as mãos livres para outras tarefas. Quando regressou aos Estados Unidos desenhou um transporte semelhante que se tornou no popular SNUGLI.

Recentemente registou uma outra patente para transportar garrafas de oxigénio, permitindo aos doentes uma perfeita mobilidade.


Gertrude B. Elion
Gertrude B. Elion, Prémio Nobel da Medicina 1988 e cientista emérita de Burroughs Wellcome Company, patenteou a síntese de duas das primeiras drogas de sucesso para a leucemia e Imuron, um agente para prevenir a rejeição de transplante de rim e infecções pelo vírus Zovirax, o primeiro agente antiviral selectivo contra o herpes.

Os investigadores descobriram que o AZT, um tratamento inovador contra a SIDA, utilizava protocolos por ela criados. Elion foi a primeira mulher a entrar para o National Inventors Hall of Fame em 1991.

Betty M. Rozier e Lisa M. Vallino
Betty M. Rozier e Lisa M. Vallino, uma equipa de mãe e filha, inventaram uma protecção para cateteres intravenosos para uso hospitalar. O "IV House" impede que a agulha seja deslocada acidentalmente até por movimentos do paciente. A patente foi registada em 1993.


Ruth Handler
Depois de lutar contra um cancro da mama e de ter sido submetida a uma mastectomia, em 1970, Ruth Handler, uma das criadoras da Barbie, procurou no mercado uma prótese de mama adequada. Decepcionada com as opções que encontrou, decidiu desenhar uma mama mais parecida com a natural. Em 1975, Handler registou a patente de Nearly Me, uma prótese feita de material parecido em peso e densidade a um peito normal.


Mais próximo de casa...
A Exposição Universal de Chicago de 1893 também incluiu o Edifício da Mulher. Um elevador de segurança inventado por multi-patentes de Harriet Tracy e um dispositivo para levantar e transportar doentes inventado por Sarah Sands.


E uma nota final...
Tradicionalmente, na roupa íntima feminina existiam os espartilhos brutalmente apertados para moldar e reduzir, de forma anti-natural, a cintura das mulheres. Alguns sugeriam que o facto de as mulheres parecerem tão frágeis, esperando-se que desmaiassem a qualquer momento, resultava do uso do espartilho que impedia uma respiração normal, razão por que foi proibido.

Grupos de mulheres progressistas encetaram um movimento para tornar menos restritivo o uso de roupa interior. Uma peça de flanela de Susan Taylor Converse transformou-se numa bandeira de emancipação. Foi patenteada a 3 de Agosto de 1875 e tornou-se num sucesso, acabando de vez com o sufocante espartilho.


Tradução Juris - Artigo original


Criado em: 26/05/2010 • 03:12
Actualizado em: 26/05/2010 • 03:23
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO II


Imprimir Imprimir

Comentários

Ainda ninguém comentou.
Seja o primeiro!


  Um dicionário é todo o universo por ordem alfabética  Anatole France
^ Topo ^