Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO - Testosterona e generosidade

O ser humano acha que é livre e que possui o controlo da sua vida, mas o nosso comportamento depende de muitos factores, inclusive do nosso nível hormonal. É por essa razão que alguns estudos de comportamento excluem as mulheres, porque a sua resposta depende muito do momento do ciclo em que se encontrem.

As hormonas não afectam só as mulheres. Também os homens estão condicionados por elas. Há tempo um estudo demonstrava que de manhã, quando os níveis de testosterona são altos, os comerciantes tinham mais lucros, mas esse estudo não pôde estabelecer uma clara ligação causa-efeito.

Agora Karen Redwine, do Whittier College, Califórnia, pode afirmar que efectivamente a testosterona faz com que os homens sejam mais astuciosos, manhosos. Esta investigadora e Paul Zak, do Claremont Graduate University, administraram testosterona a 25 estudantes voluntários e comprovaram de que forma isso afectava a sua generosidade.

A todos foi administrado um placebo sem a hormona numa das sessões para haver uma base de controlo. Nem os participantes nem os investigadores sabiam o que os estudantes tinham ingerido até à conclusão das provas.

As provas consistiam basicamente em jogar o ultimatum. Neste jogo, os dois oponentes devem apropriar-se de uma certa quantia de dinheiro fornecida pelos investigadores. O proponente oferece uma parte, que fica ao seu critério, ao outro e, se o outro aceitar, cada um fica com os montantes assim divididos. Se o outro não estiver de acordo, ninguém fica com o dinheiro.

No caso concreto, tratava-se de repartir 10 dólares e cada participante jogava em ambos os papéis com outros através de um sistema informático que garantia o anonimato, tanto sob os efeitos da hormona como do placebo.

Analisando os resultados, os investigadores puderam comprovar que efectivamente a potente hormona tinha efeito sobre os resultados do jogo. Em média, a testosterona produzia uma diminuição da generosidade de 27%, já que a oferta do oponente caía de 2,15 para 1,57.

Uma variedade mais potente de testosterona, a DHT (dihidrotestosterona), produziu um impacto ainda maior. Os homens com os níveis mais altos no sangue ofereciam apenas 55 centavos dos 10 dólares em média, enquanto que os que tinham menos desta hormona ofereciam 3,65 em média.

Além disso, a DHT estava associada a uma maior propensão para castigar o oponente. Os homens com altos níveis rejeitavam ofertas de 4 dólares dos 10 disponíveis, enquanto os que tinham baixos níveis só castigavam abaixo dos 2,15 em média.

Por um lado, a testosterona leva os homens a serem menos generosos, mas por outro leva-os a procurar uma maior parte do dinheiro mesmo pagando caro por isso (não recebendo nada) para castigar o proponente. Mas a rejeição de ofertas pouco generosas faz com que procurem repartir de forma mais equitativa.

Um factor biológico importante na dinâmica da testosterona a levar em conta é o papel da oxitocina. Esta outra hormona influi positivamente na generosidade. Um estudo de 2007, do grupo de Zak, descobriu que a oxitocina aumenta a generosidade em 80%. Segundo Redwine a testosterona bloqueia o efeito da oxitocina no cérebro e essa é a razão.





Criado em: 03/11/2009 • 12:08
Actualizado em: 03/11/2009 • 12:08
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO


Imprimir Imprimir

Comentários


Comentário n°1 

andro18genios24 26/12/2009 • 16:57

É interessante notar que as mulheres(que tanto se queixam da nossa falta de empatia e generosidade para com os outros) também ficam menos generosas e empáticas quando tomam testosterona..Mulheres que tomam testosterona podem esperimentar um aumento do dominio quer para com outras mulheres, quer para com os homens, bem como um aumento da libido.

Nota: A testosterona torna os homens menos generosos para com individuos do mesmo sexo, mas mais generosos para com os do sexo oposto..Isto porque a testosterona aumenta a competitividade e o dominio, levendo o homem a se defrontar com os outros e a impressionar mulheres..


  Tornar-se número um é mais fácil que permanecer número um  Bill Bradley
^ Topo ^