Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO - Comportamentos discriminatórios

É possível que em alguma ocasião um gesto, um trejeito ou um olhar para outra pessoa nos tenha feito pensar se o nosso comportamento foi discriminatório. Às vezes, é difícil saber onde está o limite.

Custa discernir se a nossa atitude é uma resposta natural ou está motivada pela origem, nacionalidade, situação, idade ou orientação sexual da outra pessoa.

A União Europeia está empenhada mediante numerosos actos e actividades, mas é necessário o envolvimento de todos para que o resultado seja satisfatório.

A origem racial ou étnica, a religião, as crenças, a incapacidade, a idade e a orientação sexual são motivos de discriminação.

Desde 2003, a Comissão Europeia contra a discriminação tenta evitá-lo, mas é difícil actuar em todas as frentes e chegar a todas as pessoas.

Os esforços são desenvolvidos através de centenas de actividades, concursos, manifestações desportivas, seminários ou conferências. São os recursos de apoio da campanha "Pela diversidade. Contra a discriminação".

O principal propósito é sensibilizar a população sobre as causas que originam estas situações. As mensagens são tão numerosas e algumas discriminações tão subtis, que em algumas ocasiões se cria a confusão.

Quando se considera que um acto é reprovável? Existem dois casos:

- Discriminação directa. Quando se trata uma pessoa de maneira menos favorável que outra numa situação análoga e por motivos de religião, incapacidade, idade, orientação sexual ou origem racial ou étnica. Por exemplo, se numa oferta de emprego se indicasse "Não podem concorrer pessoas com incapacidade".

- Discriminação indirecta. Quando uma disposição, critério ou prática ocasiona uma desvantagem. É o que ocorreria se todas as pessoas que apresentassem uma solicitação se lhes exigisse a realização de uma prova num idioma que não é a sua língua materna e que, uma vez superada a prova, não pudessem voltar a candidatar-se ao emprego.

Fim à discriminação

O Eurobarómetro sobre discriminação na União Europeia, com dados de Julho de 2008, revelou que 53% dos cidadãos desconhecia a existência de leis que os protegem contra a discriminação laboral.

Por este motivo, a UE propôs-se informar a sociedade com folhetos explicativos, traduzidos em 23 idiomas, nos quais se detalha a legislação e os locais a que devem dirigir-se para obter informação e apoio.
62% dos jovens crê que a discriminação é motivada pela origem étnica ou racial
É também dedicada, desde então, uma especial atenção aos jovens.

São desafiados a analisar o seu comportamento para com os outros e a reflectir sobre as suas atitudes. Porquê?

Porque as mesmas estatísticas concluíram que 51% dos jovens acha que a discriminação está motivada pela orientação sexual, 62% crê que se apoia na origem étnica ou racial, 45% assegura acontece o mesmo às pessoas com incapacidade e 42% sublinha que a discriminação por motivos de idade se dá com frequência, o mesmo sucedendo entre os que têm uma religião ou crença diferente.

"Todos temos direito a receber um tratamento igualitário". Esta é a principal mensagem que se quer fazer passar.

A generalização deste direito romperia as correntes que unem a discriminação com a raça, religião, idade, orientação sexual ou incapacidade. Segundo dados da UE, a maioria dos cidadãos reconhece quando um facto é discriminatório, mas não sabe que fazer quando eles próprios são as vítimas dessa discriminação. Muito poucos conhecem os seus direitos e como exercê-los.

PROGRESS

O programa comunitário PROGRESS, para o emprego e solidariedade social, existe para que não se verifiquem, nem repitam, situações de discriminação e garante que a legislação europeia nesta matéria se aplique de maneira correcta.

Os seus pilares são a sensibilização da opinião pública, os estudos de pesquisa e as redes europeias de Organizações Não Governamentais que trabalham na luta contra a discriminação.Este programa existe para que não se verifiquem situações de discriminação e garante a aplicação da legislação europeia

O apoio económico do Fundo Social Europeu permitiu que o PROGRESS se iniciasse em 2007, com uma duração prevista até 2013. Houve antes outros quatro programas cujos objectivos foram a luta contra a discriminação, a igualdade entre homens e mulheres, a melhoria do emprego e a luta contra a exclusão social.

Todos estes fins se agrupam na iniciativa PROGRESS. É uma estratégia para aumentar o impacto. Se se conseguir que todos os países implicados - os 27 membros da UE - criem melhores trabalhos, garantam a igualdade de oportunidades e implementem as leis europeias contra a discriminação, o esforço terá valido a pena. Se não, haverá que tentar de novo.


Azucena García





Criado em: 20/07/2009 • 14:05
Actualizado em: 20/07/2009 • 14:08
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO


Imprimir Imprimir

Comentários

Ainda ninguém comentou.
Seja o primeiro!


  Se um dia tiver que escolher entre o mundo e o amor...
lembre-se:
se escolher o mundo, ficará sem o amor,
mas se escolher o amor, com ele conquistará o mundo.  
Albert Einstein
^ Topo ^