Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifO canto dos poetas - Covardia

    Raiva de ser
    como sou,
    de complicar,
    de não escutar,
    e recusar
    os sentidos!

    Queria compreender
    esta maneira
    estranha de ser,
    e sei, que ninguém, entende!

    Queria que tu
    me compreendesses
    mas sei
    que, também, não entendes!

    Queria gritar
    adoro-te
    mas temi
    e não segui
    o sentimento
    que aqui estava!

    Queria-te tanto
    que fiquei
    com medo
    de cair em erro!

    Este conflito
    que sinto aqui dentro
    não me deixa
    ser eu!

    Quis libertar-me,
    quis fazer loucuras,
    por ti,
    quis ser um pouco eu,
    mas por me ter descontrolado,
    fiquei cheia de medo!

    Peço desculpa
    por não ter sido
    forte
    e não ter libertado
    todo o meu eu!

    Escrito em 14 de Março de 2005 e dedicado ao Márcio

Maria Reis


Criado em: 05/08/2008 • 19:38
Actualizado em: 05/08/2008 • 19:40
Categoria : O canto dos poetas


Imprimir Imprimir

Comentários


Comentário n°1 

heartyhavok 20/10/2008 • 11:52

tongue ta lindo, e axo k tava a precisar de ler algo assim, obrigado por me fazeres entender melhor o meu eu


  O mal de quase todos nós é que preferimos ser arruinados pelo elogio a ser salvos pela crítica  Norman Vicent Peale
^ Topo ^