Menu
Qui Quae Quod

Fechar Responsabilidade Social Corporativa

Fechar ARTIGOS DE OPINIÃO

Fechar Justiça Restaurativa

Fechar Multiculturalismo

Fechar Dossier Europa

Fechar ARTIGOS DE FUNDO

Fechar ARTIGOS DE FUNDO II

Fechar ARTIGOS DE FUNDO III

Fechar TENDÊNCIAS 21

Fechar CIBERDIREITOS

Fechar No gesto da procura

Fechar Os erros do ditado

Fechar Para ler e deitar fora

Fechar O canto dos prosadores

Fechar UTILITÁRIOS

Fechar Apresentações

Fechar Barra JURIS

Fechar CANCIONEIRO de Castelões

Fechar Coisas e loisas da língua portuguesa

Fechar DIVULGAÇÃO DE LIVROS

Fechar Delitos Informáticos

Fechar Encontros

Fechar JURISPRUDÊNCIA

Fechar Livros Maravilhosos

Fechar MANUAL DE REQUERIMENTOS

Fechar NeoFronteras

Fechar Nova Lei das Rendas

Fechar O canto dos poetas

Fechar Vinho do Porto

Fechar Workshops

Relax
Pesquisar



Visitas

   visitantes

   visitantes online

PREFERÊNCIAS

Voltar a ligar
---

Nome

Password


SOS Virus

Computador lento?
Suspeita de vírus?
Fora com eles!
AdwCleaner

tira teimas!
--Windows--

Já deu uma vista de olhos pelas gordas de hoje?


Desde 2004
news_artigo.gifARTIGOS DE FUNDO - Não ao álcool e água oxigenada nas feridas

Ainda que se utilize muito no dia a dia o álcool e a água oxigenada para limpar feridas, oficialmente, desaconselha-se o seu uso. Em vez disso recomenda-se a aplicação de água e sabão e outros produtos mais tolerantes com os tecidos afectados.

Em toda a sociedade que se preze há sempre uma série de tradições sanitárias que se baseiam no costume e no imaginário.

Tradições que surgem pela falta de informação e por falsas crenças. Uma das crenças mais arreigadas da nossa sociedade é a célebre máxima, e não menos típica frase da avó, "o que arde, cura".

E assim, à base de "ai ai" e umas quantas "sopradelas" o álcool e a água oxigenada foram e continuam a ser os reis das feridas abertas na vida quotidiana, chegando mesmo a ter o seu momento de glória no âmbito médico. Glória, felizmente, passageira.

Quem não sofreu já o arder do álcool numa ferida recente? Quem não ficou com uma ferida vermelha e simplória transformada num pedaço de tecido espumante esbranquiçado depois de lhe deitar água oxigenada? Estas substâncias estiveram de tal forma unidas à nossa vida que quase poderíamos dizer que quem não as conheceu e com elas sofreu, não teve infância.

Venho aqui derrubar um mito (ou pelo menos tentar): a utilidade do álcool e da água oxigenada não só não é tão eficaz como se pensa, mas pode ser prejudicial e, oficialmente, o seu uso está desaconselhado em feridas abertas. Há alternativas muito mais eficazes.

Tanto o álcool como a água oxigenada são bons desinfectantes. Isto é, são capazes de eliminar uma boa percentagem de microorganismos (bactérias, vírus, fungos...) sobre superfícies, pele intacta e objectos.

Não são sequer produtos de "primeira categoria" quanto ao seu poder desinfectante apesar de possuírem uma eficácia considerável. É por esta razão que o álcool se utiliza em hospitais e centros de saúde para limpar a pele intacta antes de, por exemplo, picar para extrair sangue.

Mas, mesmo que sejam bons desinfectantes não são bons antissépticos. Isto é, não são eficazes na eliminação de germes sobre tecidos vivos especialmente em feridas e mucosas.

Isto deve-se a um mecanismo químico que os inactiva, em grande medida, ao contato com tecidos vivos.

Daqui resulta que desinfectam à superfície mas muito pouco ou nada em profundidade. E não só isso, são muito pouco específicos. Não distinguem entre germes e células dos tecidos da ferida, agredindo a ambos por igual. É por isso que ardem.

Estes são os principais contras de cada um:

Álcool - Dor. Irritação e agressão dos tecidos. Atraso da cicatrização. Produz pouco efeito em tecidos vivos diminuindo a sua eficácia perante germes. Desidrata a ferida e coagula proteínas podendo criar uma película isolante na ferida que favoreça o crescimento de microorganismos que crescem na ausência de oxigénio.

Água Oxigenada - Dor. Irritação e agressão dos tecidos. Diminui a irrigação sanguínea na zona da ferida. Atraso da cicatrização. Produz pouco efeito em tecidos vivos diminuindo a sua eficácia perante germes.

É precisamente pelas razões apontadas que médicos e enfermeiras não os utilizam para a limpeza de feridas.

A melhor forma de actuar perante uma ferida é, antes de mais nada, a sua limpeza com água abundante e sabão, eliminando as partículas estranhas e posteriormente aplicar antissépticos eficazes que não irritem nem agridam os tecidos.

Entre os mais utilizados encontra-se a povidona iodada, mais conhecida como Betadine (também pode atrasar ligeiramente a cicatrização) ou clorexidina.

De acordo com a zona da ferida assim se aconselha a tapá-la ou não com gaze ou penso. Se está numa zona onde pode contaminar-se facilmente (por exemplo, na palma da mão) recomenda-se que se cubra, mesmo com o pequeno contra de uma cicatrização mais lenta.

E mais nada. Abandone-se desde já a ideia de aplicar água oxigenada/álcool sobre uma ferida viva. Ver estrelas não é sinal de uma limpeza efectiva e se arder, não significa que cure.



Criado em: 07/07/2008 • 08:49
Actualizado em: 07/07/2008 • 09:02
Categoria : ARTIGOS DE FUNDO


Imprimir Imprimir

Comentários


Comentário n°16 

martago 10/02/2010 • 22:34

Existem vários nedicamentos antigos que eram eficazes e que foram retirados do mercado, quer pelo seu preço baixo ou por venderem pouco.  É por exemplo o caso das sulfamidas em pó, que era excelente em feridas abertas.

É evidente que a água oxigenada é eficaz em feridas abertas, como toda a gente já comprovou, tem um custo baixo, e tem um alto poder de estancar o sangue em caso de hemorragia, situação que o betadine não consegue acompanhar.

Ultimamente, seguindo uma dica que obtive na net relativa ao tratamento de infeções respiratórias, utilizei água oxigenada nos ouvidos (3 a 4 gotas durante 5 minutos em cada ouvido) e consegui parar em 24 horas uma infecção respiratória que já tinha há alguns dias.

Pessoalmente recomendo o seu uso.


Comentário n°15 

nel 30/12/2009 • 10:03

Imagine se o alcool que é composto de carbono, oxigenio e hodrogenio e a agua oxigenada, de oxigenio e hidrgenio  agridem os tecidos conforme colocação acima, que me dirá compostos com soda caustica, cloro e outros acidos e substancias, tratei minha cachorrinha com corte pós cirurgia de aproximadamente 18 cm com remedios recomendados pelo veterinario e o processo estava muito lento, quando resolvi usar agua oxigenada comecei a realmente ver cicatrização, ao meu ver um machucado como estes relatados acima, nem que quisessemos conseguiriamos limpar em profundidade sem que "enjetassemos" medicamento no local, situação que ja descaracterisa a colocação inicial pois deixa de ser machucado e passa a ser algo mais sério, temos que impedir que micro-organismo entrem na região afetada pois com isto estamos dando condições do nosso arganismo reagir com maior velocidade e pela eficiencia que eu obtive com a agua oxigenada continuarei a utiliza-la.

Comentário n°14 

Vossa conscincia 22/10/2009 • 17:56

Acho que devem continuar a usar a água oxigenada em pequenas feridas, ajuda á cicatrização ...

Também acho que não devem de tomar banho se tiverem com o periodo, é perigoso...

Já agora continuem a por manteiga numa queimadura, ajuda a passar...

Não se esqueçam de depois da água oxigenada, mercúrio cromo para finalizar.

A água Oxigenada, na falta de outro desinfectante serve, como servia à 50 anos atrás, mas actualmente exitstem melhores opções já que é demasiado forte para pequenas feridas e prejudica a cicatrização, chama-se evolução.

Não, não tenho nada a ver com indústri farmaceutica.


Comentário n°13 

1111 08/10/2009 • 12:48

Especialidades da autora do Texto : Esther Samper's:

Divulgadora de produtos da Industria Farmaceutica,Medicina, biomedicina, biotecnología, saúde.   Biotecnologia, etc.etc.

É uma representante da Indústria farmaceutica, que não tem interesse em manter a credibilidade dos produtos mais simples e baratos.


Comentário n°12 

Deda 12/09/2009 • 17:07

Há algus equivocos no artigo, como exemplo o uso de povidine ou substâncias com preparo de iodo, pois são cientificamente compravado que estas substâncias impendem a cicatrizção das feridas, por isso sua utilização está obsoleta e desaprovada, na rede hospitalar. Sou enfermeira especializada em feridas e pé diabético e fiscal daVigilância Sanitária.
InícioAnterior [ 1 2 3 4 5 6 ] SeguinteFim

  A verdadeira amizade é como a fosforescência: nota-se melhor quando tudo ficou às escuras  Tagore
^ Topo ^